Brinquedos a escolha para presente
Qual a melhor escolha na hora de presentear as crianças?

Na hora de presentear uma criança os pais, tios, avós, enfim todos ficam preocupados em equilibrar orçamento e, assim, satisfazer o desejo dos pequenos por diversão. 

A escolha, claro, passa também por avaliar o desenvolvimento e personalidade de cada criança. Cada uma delas é um pequeno mundo cheio de esperanças e desejos. Antes de sair às compras, a melhor dica é: dedique algum tempo a conhecer a pessoa que ganhará o presente. Isso faz toda a diferença.

Preparamos um guia com muitas sugestões para a turminha desde os primeiros meses até os sete anos.

Bebê novo na família!

Esta fase é ótima para dar presentes que estimulem os pequenos. Os móbiles, por exemplo, ajudam no desenvolvimento da acuidade visual, os bichinhos para apertar trabalham a musculatura, assim como as bolas e demais bichinhos com texturas. Vale também estimular a audição com guizos e chocalhos. 

Entre 3 aos 8 meses


Somente dos 3 aos 8 meses, época do nascimento dos dentes, é que se deve introduzir na vida dos bebês os mordedores e outros brinquedos que podem ser levados à boca. Lembrando que é preciso escolher peças grandes e leves, com material atóxico e de costura reforçada.

Pequenos entre7 e 12 meses

A pedida é investir ainda em brinquedos educativos e que estimulem meninos e meninas em seus desenvolvimentos. As possibilidades aumentam, principalmente, para as crianças de um ano. Que tal escolher carros, camionetes ou animais com bastante movimento? As crianças dessa idade adoram blocos de montar, principalmente aqueles com as peças bem grandes, que podem ir para a piscina ou banheira. A mamãe também já pode ler livros simples, com grandes ilustrações. Tem inclusive alguns que são infláveis e de material plástico e podem ir para água.

Entre 1 ano e 1 ano e meio, chega a hora de criar!

A palavra de ordem passa a ser estimular a criatividade. Seja oferecendo material de pintura, blocos para montar e quebra-cabeças ou até mesmo presentes mais contemplativos, como livros para serem lidos pela mamãe e caixinhas de música. Alguns meninos mais ativos vão preferir os veículos de madeira ou borracha e demais carrinhos, jipes para serem puxados ou empurrados.

Dos 18 aos 24 meses

Bonecos e bonecas dos personagens favoritos da criança já são, agora, uma boa escolha. Para os mais musicais, pequenas guitarras e baterias agradam, assim como a boa e velha piscina de plástico, que é muito útil para um domingo de praia!

Entre 2 e 3 anos e o faz de conta

É a idade em que, por já dominarem um vocabulário mais completo, embarcam com toda força no mundo da fantasia. Para estimular esse comportamento de forma saudável, escolha brinquedos que simulem outras atividades, como brinquedos de construção (Lego, Playmobil, por exemplo.), vestuário e utensílios para fazer jogos "faz de conta" (termômetro, estetoscópio, etc.). Jogos de pintura e quebra-cabeças também fazem sucesso.

Dos 3 aos 5 anos

A atividade e energia aumentam tanto que os meninos vão preferir os brinquedos desportivos como cordas, raquetes e demais acessórios para partidas animadíssimas. Já as meninas talvez prefiram as bonecas Polly, casinhas em miniaturas e demais delicadezas. E se os pequenos já tiverem um instinto paro o estudo, um binóculos, por exemplo, fará sucesso!

Dos 5 aos 7 anos

Meninas preferem suas bonecas com respectivos vestidos e acessórios. Vão adorar também kits de maquiagem, tatuagem e demais itens para o visual. Com a alfabetização, os livros já podem ser mais complexos e os jogos de tabuleiro apropriados para a faixa etária são mais do que indicados. E como estamos falando de uma geração pra lá de conectada, que tal um notebook?
 
Brincadeira combina com segurança

- Compre apenas brinquedos que possuem o selo do INMETRO, pois esses foram testados em diferentes ocasiões e aprovados como brinquedos de segurança;

- Fique sempre de olho nos brinquedos à procura de danos e potenciais riscos, como pontas afiadas e arestas. Concerte o brinquedo imediatamente ou mantenha-o fora do alcance da criança;

- Certifique-se de que os brinquedos serão usados em ambientes seguros, evitando sua utilização próximo a escadas, ruas, piscinas, lagos etc;

- Ao presentear crianças com bicicletas, patins, patinetes e skates aproveite para ensinar sobre segurança na diversão. O próprio presente pode incluir equipamentos de segurança necessários, tais como capacete, joelheiras e cotoveleiras.

O papel dos pais

Neste cenário é fundamental a participação dos pais. A vida moderna trabalha com um conceito cruel de substituição. A rotina, a pressão por resultados financeiros e profissionais, faz como que muitos pais, mesmo os mais bem intencionados,  tendem a substituir sua presença ao lado das crianças por atividades contratadas (a tal agenda lotada de cursos) e mimos eletrônicos como vídeogames e computadores.

Os pais ou adultos responsáveis podem (e devem) estar presentes. A única substituição aceitável é a da quantidade pela qualidade dos poucos momentos. Reserve uma hora e transforme-a no momento sagrado onde, através de leitura de histórias e jogos ou até mesmo um agradável período no sofá vendo o desenho preferido dos pequenos, você consiga despertar ideias, incentivando os filhos a procurarem, eles próprios soluções para os problemas que surgirem. Além disso, brincar com eles, procurando estimular as crianças e servir de modelo, ajuda-os a crescer.

Não se esqueça: o brincar reforça os laços afetivos e é uma das mais fortes e sinceras demonstrações de amor. A participação do adulto na brincadeira eleva o nível de interesse, enriquece e estimula a imaginação das crianças.