Memória cada vez mais opções
Saiba quais são as melhores opções de memória RAM.

Gente, já reparou como a portabilidade da tecnologia atual facilita muito a nossa vida? Há poucos anos era impensável carregar por aí grandes arquivos. A gente dividia em partes, com programas específicos, ou arrastávamos HDs de um lado para o outro. Ninguém merece mais isso!

Hoje está tudo na palma da mão – pen drives pequenos com alta capacidade, prontinhos para receber nossos arquivos de áudio, filmes e fotos. #aísim.

Você já notou como a memória interna de equipamentos como câmeras digitais aumentou bastante e os aparelhos de som já vêm de fábrica com entrada USB? Isso torna muito mais simples a animação de uma festa com músicas escolhidas a dedo.

Para ajudar você a entender um pouco melhor estas novas fronteiras do armazenamento, separei as principais tecnologias de armazenamento. Confira!

No início, as memórias portáteis se destinavam à armazenagem temporária – e bem limitada – de dados de programas e arquivos em mídias que eram magnéticas ou ópticas. Quem não se lembra dos disquetes e, mais tarde, os zip drives? Estes formatos acabaram ficando no passado, seguindo a tendência de miniaturização, tanto dos equipamentos quanto das próprias memórias.

SD Cards

A Sony, marca que eu adoro e recomendo, revolucionou o mercado ao ser a primeira a lançar, em 1998,uma memória regravável para suas câmeras chamada Memory Stick.

No ano seguinte, as marcas concorrentes não ficaram para trás, porque ninguém é bobo neste negócio, e desenvolveram um formato único, que acabou se tornando padrão de armazenamento em gadgets e dispositivos portáteis em geral: o SD Card.

Hoje em dia, são encontrados no mercado diversos tipos de cartões de memória SD, com velocidades e tamanhos variados, que são usados não só em câmeras digitais, mas em celulares, instrumentos musicais eletrônicos, tocadores de MP3 e outros.

Fique atento: este padrão prevê a utilização de criptografia em conteúdos de mídia, de acordo com as diretrizes de proteção de direitos autorais.

Pen drives

Este todo mundo conhece! Os pen drives surgiram no mercado em 2000 e hoje são tão populares que é difícil não olhar uma gaveta ou mochila e não achar um lá dentro!Os pen drives  são superiores a outros formatos também por não possuírem peças móveis e, por isso, duram muito mais! Como o acesso às informações é mais rápido, são bem versáteis também, sendo utilizados como backup ou até mesmo como respositóri de arquivos de vídeo e áudio.

Uma vez espetadas na entrada USB, um pen drive se comporta como um disco rígido tradicional e é até mais estável e confiável do que mídias como CD, DVD e outros. Eu sempre tenho um na bolsa!

Solid-State Drives (SSD)

Se você acompanha meus artigos e posts no blog, já reparou que o SSD é figura central nos atuais Ultrabooks! A opção por este tipo de tecnologia de armazenamento se dá pelo fato deles eliminarem o risco de danos ou perdas de dados devido a trepidações.

Por que isso? Simples, o SSD funciona como uma memória flash: ele possui um circuito integrado semicondutor, sem a necessidade de buscar informações em um disco rotativo, como os HDs tradicionais, que são magnéticos.

Como funciona uma conexão USB

Ok, o USB é prático, rápido e possibilitou o surgimento de memórias de armazenamento bem mais em conta. Mas você sabe como ele funciona? A conexão USB (Universal Serial Bus) foi desenvolvida originalmente para conectar periféricos, como teclados e mouses, a desktops e notebooks.

Ela tem como principal vantagem o reconhecimento automático de sua presença no sistema, através do uso de um cabo simples, sem a necessidade de reiniciar a máquina.

Daí, quando os pen drives ficaram mais e mais populares, esta tecnologia também ganhou atualizações. Atualmente ela já está na versão 3.0, muito mais rápida do que as antecessoras e pronta para funcionar também como terminal de carregamento de smartphones e demais gadgets. Adoro esta mania do mundo sempre ficar mais prático!

Cuidados

Ah, gente, vale um lembrete muito importante aqui. Já que a mídia ficou mais barata, é claro que surgiram alguns perigos, principalmente relativos à segurança de informação. Uma das mais complicadas são os vírus!

Eles estão em toda parte e mesmo quem tem o hábito de passar o antivírus no micro regularmente corre riscos de contaminar a máquina ao usar pen drives em computadores de faculdades e lan-houses.

Para prevenir estragos em seu computador, instale um antivírus que detecte automaticamente a presença de vírus em dispositivos ligados via USB. Assim, eles serão eliminados antes que eles tenham a chance de entrar em sua máquina.

Conheça a linha de pen drives do Magazine Luiza!