TV 3D tire suas dúvidas
Entenda como funciona o televisor 3D, esta tecnologia que chegou para ficar

Lembra quando a TV 3D era um produto que parecia vindo de um filme de ficção científica? Olha só que legal: hoje é uma realidade possível de ser adquirida por qualquer pessoa.

Você ainda tem dúvidas sobre a tecnologia 3D? Então vem com a LU que eu explico!

História da tecnologia 3D no cinema
O mais curioso é que esta tecnologia começou a ser desenvolvida há muito tempo. Um primeiro tipo de óculos (chamado Fairhall-Elder 3-D), aquele com lentes de duas cores, era meio desconfortável e foi abandonado. Em seguida, o cinema 3D retornou aos Estados Unidos como uma verdadeira febre nos anos 1950, com o filme Bwana Devil, um raro fenômeno de bilheteria que foi contra a maré de baixas vendas que as salas sofriam com o começo da televisão. Que genial!

Nos anos 1960 e 1970, a tecnologia 3D ficou limitada a algumas boas produções esparsas. Um fato interessante, que eu não posso deixar de mencionar: em 1966, um engenheiro e ex-militar desenvolveu o Space Vision, uma técnica mais barata para fabricar películas em 3D, e também mais eficaz para sua reprodução, uma vez que não exigia o uso simultâneo de dois projetores.

Outra novidade neste mundo 3D dos cinemas foi o surgimento do padrão IMAX, no Canadá, em 1967. Com evolução constante esta tecnologia cinematográfica atingiu seu auge em 2009, com o fenômeno de bilheteria Avatar, de James Cameron. Avatar foi lançado não só para IMAX, como para RealD 3D, Dolby 3D, XpanD 3D. Um show de tecnologia!

O segredo? O uso de câmeras criadas especialmente para o filme, que simplesmente obteve a melhor bilheteria da história do cinema. Hoje, o 3D em cinemas é uma realidade e a tecnologia continua a evoluir visivelmente.

Por que falei tanto de cinema? Pois foi nesta época que surgiram as TVs 3D! A ideia era trazer para dentro de casa o espetáculo que foi Avatar e outras produções do período.
Hoje, os modelos apresentam diversas características bem legais que incrementam ainda mais o programa em família.

Tecnologia passiva: os óculos de tecnologia passiva, por exemplo, são mais leves, mais baratos e não ficam “piscando” (efeito “flickering”). Ou seja: é quase como estar no cinema. Com uma vantagem: muitos dos “kits iniciais”, ou seja, que veem com a TV na hora de compra, são compostos de quatro pares. Filme 3D para a família toda!

Conversão 2D-3D: quando o 3D começou a chegar nas TVs a grande questão era a falta de conteúdo. Hoje isso já foi até amenizado, com oferta de filmes, shows e programas nas TVs a cabo ou em discos de Blu-ray. Mas, mesmo não contando com essa oferta de programação, muitos modelos oferecem um recurso prático, a conversão de conteúdo 2D para 3D. Você não atinge o mesmo nível de profundidade e qualidade, mas já dá para curtir a novela em outra dimensão! Rs, rs, rs

Dual Play: esse recurso é o máximo. Ele se utiliza de óculos especiais para dar aos gammers a possibilidade de jogar em dupla com aproveitamento total da tela. Funciona assim: cada jogador vê a sua tela no espaço total disponível e os óculos fazem essa divisão das imagens.

Como comprar minha TV 3D?
Essa é a grande questão, né? Na hora de escolher sua TV, fique atento aos seguintes pontos.

Tamanho da família: caso sua família tenha mais de cinco pessoas, o ideal é investir em modelos que tenham óculos de tecnologia passiva. Assim, você já recebe um kit inicial com mais pares e ainda pode comprar por fora, sem afetar mais o orçamento, já que são mais baratos.

Conteúdo disponível: confira se o seu serviço de TV a cabo (caso seja assinante) possua transmissão de conteúdo 3D. Caso não tenha, uma alternativa é investir em um Blu-ray com essa característica para poder curtir os filmes que saírem no formato. Se você não quiser gastar nada além, foque então em um modelo que faça a conversão de 2D para 3D. Assim você curte uma experiência em outra dimensão sem pagar nada a mais.

Tamanho da tela: lembra do meu infográfico com dicas para comprar TV. Então, nele eu mostro que o tamanho da tela e a distância até o sofá têm uma relação quase “matemática”. No caso da TV 3D isso é ainda mais verdadeiro. Isso porque para gerar a sensação de profundidade a TV “engana” os seu cérebro, enviando imagens diferentes para cada um dos olhos. Assim, se você estiver perto demais, além de não obter o resultado desejado (a imagem pode ficar desfocada), pode rolar um desconforto visual.

Pronto para entrar em uma nova dimensão com a sua nova TV 3D?