GPS um aliado no trânsito
Saiba como escolher o seu GPS

Ficar perdido no meio de uma estrada a noite é, com certeza, muito desagradável e inseguro. Nem todas as estradas são sinalizadas de forma apropriada e um erro pode acabar com o planejamento de sua viagem – e consequentemente com seu bom humor.

A melhor forma de se manter no caminho certo o tempo todo é adquirir um navegador GPS para o seu carro. Infinitamente mais prático e fácil de usar que um mapa de papel, os modelos de GPS disponíveis no mercado brasileiro cumprem bem sua finalidade e possuem diversas funções para tornar mais prazeroso o ato de dirigir por longas horas ou em um trânsito complicado.

O que é o GPS?

O GPS (Global Positioning System, ou Sistema de Posicionamento Global) é um sistema de navegação composto por 24 satélites criado originalmente pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos para fins militares, nos anos 70. Estes satélites viajam ao redor do planeta a uma distância de 20 quilômetros transmitindo continuamente sinais digitais de rádio com informações sobre localização para os receptores na Terra.

Os equipamentos domésticos para motoristas recebem estes sinais que transmitem dados de latitude, longitude e altitude, cruzam as informações com os mapas disponíveis e traçam a melhor rota. A partir daí, a navegação é feita pela tela, com símbolos específicos e/ou comandos de voz. O movimento do carro é registrado no GPS que avisa caso algum erro de rota seja cometido.

Qual é o GPS mais indicado?

Antes de escolher um GPS é importante entender as características de cada modelo. Os fabricantes apostam, cada vez mais, em inovações e recursos adicionais para atrair compradores. A indicação de rotas de um destino a outro é apenas o início - a maioria dos navegadores apresenta extras, como reprodução de músicas em MP3 e visualização de fotos.

Conheça as principais funções e componentes:

- Mapa: é o item mais importante a ser checado durante a compra de um navegador GPS. Verifique se o dispositivo contém mapas recentes de sua região, com nomes de ruas e mãos confirmadas – estas características tornam o mapa "navegável", evitando erros de percurso. A quantidade de mapas também conta. É importante que o aparelho contenha mapas atualizados de cidades próximas e de todos os locais que você pretende visitar. A maioria dos equipamentos dá uma boa cobertura de cidades em todo o Brasil. Alguns oferecem também a possibilidade de compra de mapas de outros países, um extra que pode ser bem útil para os amantes da estrada.

- Atualização: ela deve ser feita no menor intervalo possível. Ela pode ser feita pela internet, no site do fabricante do software ou do equipamento, de acordo com a disponibilidade. As atualizações podem ser pagas mensalmente ou gratuitas.

- Chipset: o"coração" do GPS é o componente que define o quão eficaz o equipamento é. Procure por marcas que utilizem chipsets potentes, que farão uma captação maior dos sinais dos satélites.

- Pontos de interesse: um recurso presente em quase todos os navegadores GPS. Indicam no trajeto desejado locais públicos de interesse, como restaurantes, cinemas e livrarias, além de serviços essenciais. Também podem ser atualizados pela internet.

- Navegabilidade: os GPS oferecem hoje os mais variados recursos para programação e navegação dos trajetos. Os comandos de voz auxiliam na boa direção, permitindo que as instruções sejam entendidas sem a necessidade de olhar no visor, obedecendo a legislação vigente, que proíbe aparelhos que tenham somente a simulação de rotas por visualização. Outra função muito útil é o recálculo de rota: caso entre em uma rua errada, o motorista pode refazer o percurso, recalculando o caminho mais rápido para chegar ao destino.

- Alerta de Radar Fixo: muitos equipamentos já vêm com radares fixos previstos nos mapas. Os radares móveis devem ser informados manualmente, isso caso o software do navegador permitir.

- Alerta de excesso de velocidade: uma funcionalidade extra que ajuda a prevenir multas. Alguns modelos oferecem este recurso, realmente útil para uma boa condução dentro dos limites.

- Material à prova d’água: se você pretende usar seu GPS em uma moto, não se esqueça de verificar se o equipamento é resistente à água.

- Caneta Stylus: similar às utilizadas em palmtops. Estão presentes em alguns modelos e auxiliam na digitação do percurso.

- Recurso multimídia: hoje, a maioria dos fabricantes disponibiliza recursos multimídias extras para os motoristas. Apesar de não auxiliarem na navegação, estes recursos podem ser úteis, por exemplo, para o entretenimento. Reprodução de arquivos MP3 e MP4, visualização de fotos, Bluetooth, entrada para cartão SD, calculadora e leitor de e-books estão entre as opções mais populares. Se você procura um equipamento que execute apenas a função principal (navegação) poderá adquirir um modelo mais simples.

Recomendações

O navegador só funciona com toda a capacidade ao ar livre, edifícios dificultam a recepção dos sinais dos satélites, impossibilitando a simulação da rota desejada. Interferências em áreas com grande número de antenas e transmissores também podem prejudicar o sinal. Portanto, a simulação do trajeto deve ser feita diretamente do carro, na rua. Alguns equipamentos funcionam melhor com a utilização de antenas extras, que ampliam a recepção do sinal

Os motoristas devem ainda tomar cuidado com a posição do equipamento no carro: de acordo com a legislação, os GPS que não vêm de fábrica com o veículo devem ser afixados no para-brisa ou no painel dianteiro. A maioria dos modelos inclui um suporte com ventosas, facilitando a instalação.

Acerte sempre o caminho com os navegadores GPS!