Alimentos e Bebidas
Bem Estar
Casa e Decoração
Especiais da Lu
Estilo de Vida
Tecnologia

Piano: do clássico ao popular

Piano: do clássico ao popular

Saiba mais sobre esse instrumento que tanto seduz os amantes da boa música

Equipamentos de Áudio

Atualizado em 6 Fev 12

2 min de leitura

Talvez o piano seja o instrumento de corda mais famoso do mundo. O som que produz vem das peças feitas em madeira chamadas de martelos. Essa peça é ativada através de um teclado. Os martelos tocam nas cordas esticadas que vibram livremente e produzem o som.

O piano foi uma invenção de Bartolomeo Cristofori, no início do século 18. Em 1711, ele se apresentou em Florença e o piano foi citado pela primeira vez em um  jornal o "Giornale dei Litterati d'Italia". Desde essa primeira aparição, o piano começou a conquistar fãs e ganhou recursos e aperfeiçoamentos até se tornar o instrumento que conhecemos hoje. No final do século, grandes artistas entraram para a história usando o piano como companheiro de cena, como Bach, Mozart e Beethoven.

No Brasil ele chegou através da Família Real Portuguesa e desde então formou grandes nomes. João Carlos Martins, que hoje é maestro, Nelson Freire, entre outros.

É difícil imaginar um gênero onde o piano não se saia bem. Talvez o rock pesado ou as músicas folclóricas nacionais. Mas quem domina o instrumento sabe que é possível tocar diferentes estilos e gêneros nesse instrumento tão versátil. Essa é uma das grandes características desse que foi o parceiro musical de alguns dos maiores nomes da música mundial.

E se é para aprender a toca piano é bom escolher um modelo que tem muito a ensinar. O Piano Digital 8815 da Fênix é mais do que um bom começo. Um modelo digital com 88 teclas sensitivas com peso de teclado, 16 vozes de polifonia e 128 timbres PCM dos mais variados instrumentos. Grava e reproduz em tempo real e tem saídas para fone de ouvido e line, MIDI e display de LED. Já o DP 310, outro modelo da Fênix, vem com tudo isso e mais um adicional pedal triplo de Sustain, Sostenuto e Soft.

Basicamente, o pianista precisa ficar com suas pernas em um ângulo de 90º, os joelhos logo abaixo do instrumento, e manter o seu cotovelo em um ângulo de 90º no dó central. Mantendo a atenção a esses detalhes, dá para ter uma noção da altura certa que você precisa arrumar seu piano. Dedos muito curtos terão alguma dificuldade, mas nada que com uma boa prática não possa ser revertido.

Se você já faz aulas e ainda não possui o instrumento, ou mesmo se ainda não tem noção alguma sobre o uso do instrumento, mas deseja aprender, não perca tempo e escolha um dos modelos disponíveis no magazineluiza.com. Você não irá se arrepender!